Níveis das bacias dos rios Uruguai, Taquari e Caí estão em declínio no Rio Grande do Sul

06/06/2024

Informações foram apresentadas durante a 5ª Reunião Extraordinária da Sala de Crise da Região Sul realizada nesta quarta-feira (5)

Foto:Ricardo Stuckert/PR

Porto Alegre (RS) – No Rio Grande do Sul, os níveis das bacias dos rios Uruguai, Taquari e Caí apresentam declínio conforme dados dos Sistemas de Alertas Hidrológicos (SAHs) do Serviço Geológico do Brasil (SGB).

Os dados atualizados e as tendências para municípios gaúchos foram apresentados, nesta quarta-feira (5), pelo Serviço Geológico do Brasil (SGB) na 5ª Reunião Extraordinária em 2024 da Sala de Crise da Região Sul, promovida pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA).

De acordo com a pesquisadora do SGB Camila Mattiuzi, a bacia do Rio Uruguai estava em condição de alerta na semana passada, mas agora a situação é de normalidade, com os níveis dos rios em declínio e precipitações acumuladas inferiores a 10 milímetros na última semana.

Imagem: Divulgação SGB

“Os níveis estão em declínio tanto na calha principal do Rio Uruguai, quanto nas regiões do Alto Uruguai e na fronteira Oeste do RS. Pontualmente, no município de Otacílio Costa (SC), o nível do rio Canoas está acima da cota de alerta, mas com tendência de declínio”, informou.

Na bacia do Rio Taquari, os níveis estavam próximos das cotas de atenção na última semana, mas atualmente estão em declínio, devido à ausência de precipitação recente. Os acumulados nos últimos sete dias foram em torno de 20 milímetros, distribuídos ao longo da bacia do Rio Taquari.

Já na bacia do Rio Caí, embora tenha havido uma elevação dos níveis na semana anterior, atualmente os rios estão em declínio e abaixo das cotas de atenção. A precipitação acumulada da última semana foi em torno de 25 milímetros, com alguns locais nas cabeceiras registrando até 35 milímetros.

“Os rios formadores do Guaíba também apresentam diminuição. O nível do Guaíba em Porto Alegre reduziu cerca de 25 centímetros na última semana, e as previsões apontam que a tendência de declínio se mantenha nos próximos dias, conforme prognóstico do IPH-UFRGS-RHAMA. Já na Lagoa dos Patos, os níveis nos pontos monitorados estão oscilando próximo às cotas de inundação”, destacou Mattiuzi.

A plataforma SACE, do Sistema de Alerta do Rio Taquari (SAH Taquari), está disponibilizando os dados em tempo real (assim como dos observadores) sobre os níveis de água em diversas estações do Guaíba e da Lagoa dos Patos, permitindo um acompanhamento mais preciso da situação.

Confira outros produtos que apoiam a prevenção de desastres na região:

>>Sistema de Alerta Hidrológico;

>>Manchas de Inundação;

>>Mapeamento de áreas de risco;

>>Análise de Frequência de Cotas e Vazões dos Sistemas de Alerta Hidrológico Operados pelo SGB;

>>Chuvas Intensas e Equações IDF;

>>Ciclone Extratropical do RS em Junho de 2023;


Leia mais notícias do Serviço Geológico do Brasil:

>>Municípios da Serra Gaúcha recebem nesta semana especialistas em pós-desastre

>>Estudo alerta para risco geológico em áreas atingidas pelas chuvas em Cruzeiro do Sul (RS)

>>Rio Grande do Sul: alívio nas bacias dos rios Uruguai, Taquari e Caí, mas atenção permanece em algumas regiões

Núcleo de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil
Ministério de Minas e Energia
Governo Federal
imprensa@sgb.gov.br

Outras Notícias

Vale do Silício: pesquisas brasileiras que impulsionam transição energética se destacam em evento na Califórnia

O diretor-presidente do Serviço Geológico do Brasil participou, nesta quinta-feira (13), do Simpósio Mineral-X promovido pela Universidade de Stanford

13/06/2024

Novo sistema disponibiliza dados de monitoramento por satélites de rios da Amazônia e Pantanal

Tecnologia fundamental para acompanhar a situação, especialmente em áreas mais remotas, contribui para gestão de recursos hídricos e auxilia na previsão de eventos como enchentes e estiagens

13/06/2024

Manaus (AM) recebe mapa que indica áreas afetadas na ocorrência de cota de inundação severa

Associado ao Sistema de Alerta Hidrológico da Bacia do Rio Amazonas, o estudo Mancha de Inundação apoia ações voltadas para prevenção de desastres

13/06/2024